Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

RECORDANDO: AS NOVELAS E SEUS REMAKES OU NOVAS VERSÕES - PARTE 3 - FINAL

Hoje finalizo o "Recordando" sobre novelas e seus remakes ou novas versões. Essa terceira parte traz algumas novelas que ganharam novas versões em outros países em co-produção com a Globo.

ESCRAVA ISAURA (1976 e 2004)



Em 1976 Gilberto Braga adaptou "Escrava Isaura", de Bernardo Guimarães, para o horário das seis na Globo. A novela foi uma grande sucesso no Brasil e em vários outros países. Durante muitos anos "Escrava Isaura" foi a novela mais exportada da Globo. Lucélia Santos, que viveu a personagem-título ganhou uma legião de fãs ao redor do mundo, inclusive na China, o país mais populoso do planeta. Em 2004 Tiago Santiago adaptou novamente o livro para a Record. A nova versão foi protagonizada por Bianca Rinaldi e também fez muito sucesso.


DONA XEPA (1977) e LUA CHEIA DE AMOR (1990)


Outro grande sucesso do horário das seis em 1977. "Dona Xepa" foi baseada na obra de Pedro Bloch e consagrou Gilberto Braga definitivamente como um grande autor de telenovelas. Graças ao sucesso de "Dona Xepa" ele foi promovido ao horário das oito, onde estreou em 1978, com "Dancin' Days". "Dona Xepa" foi a primeira novela a ser reprisada no "Vale a Pena Ver de Novo", quando a sessão de reprises ganhou esse nome, em 1980. A novela "Lua Cheia de Amor", exibida em 1990 no horário das sete, foi um remake de "Dona Xepa", mas apresentou muitas mudanças e não foi tão bem sucedida quanto a novela original. E vem aí mais um remake da novela. A Record adquiriu os direitos do livro e já está preparando a nova versão de "Dona Xepa", que estreia no ano que vem.


O PROFETA (1977 e 2006)



A primeira versão de "O profeta" foi exibida em 1977 na TV Tupi, com grande sucesso. A novela foi escrita por Ivani Ribeiro e tinha a paranormalidade do protagonista Daniel (Carlos Augusto Strazzer) como um dos temas principais. Em 2006 Duca Rachid e Thelma Guedes usaram a história da novela como base para contar uma nova história, com muitas mudanças. O protagonista passou a se chamar Marcos (Thiago Fragoso) e a novela passou a ser ambientada na década de 1950, ao contrário da primeira versão, que era contemporânea. As autoras também criaram novos núcleos e personagens. Apesar das mudanças, a segunda versão de "O Profeta" foi uma ótima novela e fez muito sucesso.

O ASTRO (1977 e 2011)



"O Astro" é outra novela clássica de Janete Clair. Exibida entre 1977 e 1978, a novela parou o país com a pergunta "Quem Matou Salomão Hayalla (Dionísio Azevedo)?". Personagens como Salomão e Herculano Quintanilha (Francisco Cuoco) fazem parte da galeria de personagens inesquecíveis da TV. O remake da novela foi escrito por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro e inaugurou o horário das 23 horas na Globo em 2011. A segunda versão de "O Astro" foi lançada na íntegra em DVD e foi premiada em 2012 com o Emmy de melhor novela. Foi a segunda novela brasileira a ganhar o prêmio, que é considerado o Oscar da televisão.


DANCIN' DAYS (1978 e 2012)


Primeira novela de Gilberto Braga no horário das oito. Um grande sucesso! Uma novela clássica, que marcou a história da televisão brasileira. "Dancin' Days" é uma das novelas brasileiras mais queridas. A novela ganhou um remake esse ano, produzido pela emissora portuguesa SIC em parceria com a Globo. A nova versão de "Dancin' Days" foi produzida para passar em Portugal e não foi exibida no Brasil.


CABOCLA (1979 e 2004)


"Cabocla" (1979) foi a primeira novela protagonizada por Gloria Pires. Escrita por Benedito Ruy Barbosa, baseada na obra de Ribeiro Couto e exibida em 1979, a novela teve uma ótima repercussão e ganhou um remake de sucesso em 2004, com Vanessa Giácomo em sua primeira novela, vivendo a protagonista Zuca.

CIRANDA DE PEDRA (1981 e 2008)


Adptação de Teixeira Filho do polêmico romance de Lygia Fagundes Telles para as 18 horas, "Ciranda de Pedra" é considerada uma das melhores adaptações de uma obra literária para a televisão. Exibida em 1981, a novela abordou temas considerados fortes (ainda mais para os padrões da época), como eutanásia e homossexualidade feminina (de maneira bem velada). Em 2008 Alcides Nogueira escreveu uma nova versão da novela. O autor criou novos núcleos e personagens, mas a essência da obra original permaneceu e a novela foi uma belíssima produção, com um texto excelente e um ótimo elenco.

PARAÍSO (1982 e 2009)



Mais uma novela rural de Benedito Ruy Barbosa. "Paraíso" fez muito sucesso no horário das seis em 1982. O remake de 2009, não repetiu o sucesso da primeira versão, mas ajudou a recuperar os índices de audiência das novelas das seis, que haviam caído bastante com a novela anterior, "Negócio da China" (2008), de Miguel Falabella.


GUERRA DOS SEXOS (1983 e 2012)


"Guerra dos Sexos" revolucionou a linguagem das telenovelas em 1983. A novela de Sílvio de Abreu foi a primeira a investir em elementos como o humor pastelão, a comédia rasgada e uma linguagem parecida com as animações e histórias em quadrinhos. Tudo isso era uma grande novidade na época. A novela conquistou o público e foi um dos maiores sucessos da década de 1980. Mas a história, que se mostrou ótima nos anos 80, hoje encontra-se completamente ultrapassada. Prova disso é o fracasso de audiência da nova versão da novela, exibida atualmente no horário das sete.


LOUCO AMOR (1983) e ENTRE EL AMOR Y EL DESEO (2010)


"Louco Amor" (1983), de Gilberto Braga, ganhou um remake mexicano chamado "Entre El Amor Y El Deseo". A nova versão foi produzida pela Globo em parceria com a TV Azteca e exibida em 2010 no México.


TI TI TI (1985 e 2010)


Em 1985 Cassiano Gabus Mendes presenteava os telespectadores com mais uma ótima novela de muito sucesso: "Ti Ti Ti". Em 2010 Maria Adelaide Amaral juntou as histórias de "Ti Ti Ti" e "Plumas e Paetês" (1980), outra novela de Cassiano, e escreveu uma nova e divertida versão dessa grande sucesso.

MEUS FILHOS, MINHA VIDA (1984) e RAZÃO DE VIVER (1996)



"Meus Filhos, Minha Vida" (1984) foi uma das muitas novelas produzias pelo SBT na década de 1980. A maioria delas foi baseada em dramalhões mexicanos e não fez sucesso. O remake de "Meus Filhos, Minha Vida" ganhou o nome de "Razão de Viver" e foi exibido em 1996.

SINHÁ MOÇA (1986 e 2006)



Baseada no romance de Maria Denzonne Pacheco Fernandes, "Sinhá Moça" (1986) foi escrita por Benedito Ruy Barbosa e protagonizada por Lucélia Santos. "Sinhá Moça" também foi bastante exportada e ganhou um remake de sucesso em 2006, protagonizado por Débora Falabella.


VALE TUDO (1988) e VALE TODO (2002)


"Vale Tudo" (1988), de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, é outra novela clássica da teledramaturgia brasileira e dispensa apresentações. Em 2002 a Globo produziu em parceria com a Telemundo uma nova versão da novela, que recebeu o nome de "Vale Todo".


O CLONE (2001)  e EL CLON (2010)


"O Clone" (2001) é uma das novelas de maior sucesso de Gloria Perez. Em 2010 a novela ganhou um remake chamado "El Clon", que foi produzido pela Globo, em parceria com a Telemundo, braço hispânico da rede de TV norte-americana NBC.

Como viram, ao longo dos mais de 60 anos de televisão brasileira, muitas novelas ganharam remakes e novas versões no Brasil e em outros países. As próximas novelas a ganharem remakes são: a já citada "Dona Xepa", "Saramandaia", (novela de Dias Gomes exibida em 1976, cujo remake ocupará a faixa das 23 horas da Globo no ano que vem) e "Fina Estampa" (2011), de Aguinaldo Silva, que ganhará uma versão estrangeira também no ano que vem.

E essa foi a terceira e última parte do post sobre novelas e remakes! Para ler ou reler a primeira e a segunda parte, clique aqui e aqui.



2 comentários:

  1. O remake de "O Profeta" foi na minha opinião uma falta de respeito com a autora Ivani Ribeiro. Essa ideia surgiu após a sua morte e mesmo que a história da novela tenha sido de qualidade, não era a mesma história o que foi oportunismo roubar o nome da obra e de alguns de seus personagens...Desmereceu a história original, a sua proposta e amornando suas consequencias com um final feliz. Foi lamentável porque acabou sem querer ofuscando a obra original e seu propósito significativo.

    ResponderExcluir
  2. agora haja coração uma droga! sassaricando 1000 veses melhor, aparicio varela o Paulo otran inesquecível.

    ResponderExcluir